segunda-feira, 26 de julho de 2010

Acabou a Doriana!




"Foram quase duas décadas de uma união feliz, com os altos e baixos de qualquer relação entre marido e mulher, que termina agora deixando como fruto a amizade, o respeito e a admiração mútua, além de um casal de filhos lindos e amorosos que nos ligará para sempre através de um amor profundo. Ao longo de nossas carreiras sempre contamos com o carinho e respeito da imprensa na observação dos limites que separam a nossa vida pública da privada. Esperamos continuar a merecê-los neste momento especial de recolhimento. Edson e Claudia".

Esse foi o comunicado oficial de uma separação que ninguém esperava. Não tenho nadinha a ver com a vida deles, não sei o que se passou para que chegassem a essa decisão. Mas - de tudo - ficou pra mim uma única certeza: NÃO EXISTE CASAL DE PROPAGANDA DE MARGARINA.
Não existe casal perfeito, não existe marido perfeito, não existe esposa perfeita, não existe lar perfeito. Nada disso. Na casa de todo mundo tem ciúmes, na casa de todo mundo estoura o cano da cozinha, na casa de todo mundo tem louça pra lavar, na casa de todo mundo tem insegurança e decepção.
O assunto da separação dos atores foi o assunto mais twittado desde quando o colunista Ancelmo Gois deu a notícia em sua coluna. Mas porque todo mundo ficou pasmo quando soube?
Eu acho que é justamente pelo fato de o casal tentar incessantemente imprimir na mídia a imagem de casal que não briga, que não tem bafo pela manhã, que não fica com xulé. Eles eram perfeitos, ela era sempre linda, talentosa, boa mãe, boa esposa, amável e ele sempre muito cavalheiro, muito gentil, muito lindo, muito limpinho, muito carinhoso...
Um casal hermeticamente fechado para problemas & afins.
É bom para que a gente aprenda que nada é tão lindo. Embaixo dos panos sempre existe um pouquinho (mesmo que bem pouquinho) de sujeira. É preciso lembrar que qualquer relacionamento amorna, que é preciso manter o aquecimento mesmo que por vias artificiais, que é preciso estar sempre atento ao que quer o outro. Lembrar que o nosso umbigo, muitas vezes, não é o mais importante.

E assim, até que existe uma chance de um casamento durar. Pra mim, 17 anos - que foi o que durou o deles dois - é bastante. Não se pode dizer que não deu certo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário